Júlio Frederico Koeler


Photo of the author

Information about the author

  • Full name: Júlio Frederico Koeler
  • Birth: 1804 - Mainz, Alemanha
  • Decease: 1847 - Petrópolis, RJ
  • Description: Major do imperial corpo de engenheiros, fundador da cidade de Petrópolis.

Source(s) of data

  • BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario Bibliographico Brazileiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1883. 7 v.
  • WIKIMEDIA FOUNDATION. Wikipédia: a enciclopédia livre. Conteúdo enciclopédico de autoria coletiva. Disponível em: https://www.wikipedia.org.

Source: https://pt.wikipedia.org/wiki/Júlio_Frederico_Koeler

Júlio Frederico Koeler, ou Julius Friedrich Koeler, (Mainz, Grão Ducado de Hessen - Darmstadt, Alemanha, 16 de junho de 1804 – Petrópolis, 1847) foi um militar e engenheiro teuto-brasileiro.Tendo recebido educação militar em sua terra natal, emigrou para o Brasil em 1828 para fazer parte do Corpo de Estrangeiros, sendo incorporado na arma de Engenharia do Exército Imperial, com a patente de primeiro tenente. Com a devida licença eclesiástica por ser membro da Igreja Luterana, casou-se em 24 de fevereiro de 1830 com D. Maria do Carmo Rebelo de Lamare, de cuja união veio o filho Rodrigo. Este detalhe sobre o casamento do Major Koeler reflete uma situação muito mais abrangente pois com a entrada dos primeiros imigrantes alemães (católicos e protestantes) no Brasil a partir de 1824, o casamento entre protestantes, e o casamento inter-religioso, e inclusive o estado legal dos filhos destas uniões não recebiam reconhecimento legitimação oficial por parte do Estado Brasileiro; sendo que somente em 1861, por insistência de chefes de estados germânicos foi lavrado decreto que reconhecendo os casamentos formalizados por pastores luteranos devidamente registrados - permanecendo porém sem resolução uma variedade de problemas decorrentes; os quais somente viriam a ser sanados finalmente em 1889 quando ocorreu a separação formal entre a Igreja Católica Apostólica Romana e o Estado do Brasil.Quando o governo brasileiro decidiu afastar os batalhões estrangeiros a serviço do império, Koeler solicitou sua naturalização e a aguardou na condição de engenheiro civil a serviço da província do Rio de Janeiro. Em 1833 foi reincorporado ao exército, dentro do qual chegaria ao posto de major, participando de diversos projetos importantes, como a estrada que ligava Niteroi ao norte da província e a ferrovia da Serra da Estrela. Juntamente com o mordomo da Casa Imperial (equivalente ao Chefe da Casa Civil atual), Paulo Barbosa da Silva, foi responsável pela criação da cidade de Petrópolis, primeiro povoamento planejado do Brasil. Júlio Frederico Köeler viveu muito pouco em Petrópolis para acompanhar a execução do seu plano urbanístico. No dia 21 de novembro de 1847, um domingo, Köeler havia convidado alguns amigos para um almoço em sua chácara onde hoje se localiza o bairro do Valparaíso. Após o almoço haveria uma prova de tiro ao alvo. Köeler dispara primeiro e quase acerta o centro do alvo, enquanto corre para ver de perto o seu feito, um amigo que nunca havia usado uma arma de fogo empolga-se e resolve atirar também. Köeler já estava voltando, desviando da linha de tiro do amigo, mas acabou sendo atingido quase à queima-roupa pela bala do seu amigo desastrado. Socorrido, Köeler não resistiu aos ferimentos vindo a falecer por volta da nove horas da noite. Antes porém, assinou seu testamento nomeando como um dos testamenteiros o amigo que o matara por acidente.

Title Genre Year
Annual production of the author
Literary genres of the author
Beginning year Ending year Description
1822 1822 Independência do Brasil
1824 1824 Política: D. Pedro I outorga a primeira Constituição brasileira
1825 1825 Portugal e Inglaterra reconhecem a independência do Brasil
1808 1808 Brasil Colônia: chegada da família real portuguesa ao Brasil
1808 1808 Economia: abertura dos portos brasileiros ao comércio livre
1815 1815 Brasil Colônia: o Brasil é elevado a Reino Unido de Portugal e Algarves
1823 1823 Conflito: Guerra da Independência na Bahia
1835 1845 Período Regencial: Revolução Farroupilha no Rio Grande do Sul
1831 1831 Abdicação de D. Pedro I
1833 1833 Criação da Companhia Dramática Nacional
1840 1840 Golpe da Maioridade de D. Pedro II
1842 1842 Revolução Liberal em São Paulo e Minas Gerais
1831 1840 Período Regencial no Brasil
1834 1834 Cultura: criação do Teatro Nacional
1838 1838 Fundação do Instituto Histórico e Geográfico
1831 1838 Período Regencial: Revoltas populares no Período Regencial
1808 1808 Criação da Imprensa Régia no Brasil
1824 1824 Confederação do Equador
1826 1826 Política: instalação da primeira Assembléia Geral Brasileira
1834 1834 D. Pedro I morre em Lisboa
1834 1834 Período Regencial: Revolta da Cabanagem, no Pará
1837 1837 Período Regencial: Revolta da Sabinada, na Bahia
1838 1838 Período Regencial: Revolta da Balaiada, no Maranhão
1845 1845 Morse inventa o telégrafo elétrico
1825 1828 Conflito: Guerra Cisplatina
1807 1807 Pressão francesa para ruptura da aliança entre Portugal e Inglaterra
1807 1807 Invasão de Portugal por tropas de Napoleão
1808 1808 Cultura: instalação da Biblioteca Real no Hospital da Ordem Terceira do Carmo, Rio de Janeiro
1808 1808 Fundação do Arquivo Nacional
1811 1811 Cultura: inauguração da Biblioteca Real no Rio de Janeiro
1820 1820 Revolução do Porto
1821 1821 Regresso de D. João VI a Portugal
1821 1821 Abolição da Inquisição portuguesa apesar da manutenção da censura
1821 1821 Regulamentação da liberdade de imprensa no Brasil
1828 1828 Criação do Supremo Tribunal
1808 1808 Economia: permissão da instalação de fábricas e manufaturas no Brasil (1 de abril)
1810 1810 Cultura: decreto de regulamentação do teatro no Brasil
1814 1814 Proibição da posse e leitura das Fábulas de Jean de La Fontaine, traduzidas por Francisco Manuel do Nascimento
1817 1817 Proibição da circulação em Portugal e seus domínios do jornal Correio Braziliense, de Hipólito José da Costa
1818 1818 Compra da biblioteca do arquiteto José da Costa e Silva pelo governo português e sua incorporação à Biblioteca Real (RJ)
1821 1821 Abertura, no Rio de Janeiro, da Tipografia de Moreira Garcez e da Nova Oficina Tipográfica, quebrando o monopólio da Impressão Régia no Brasil
1825 1825 Os governos de Buenos Aires e britânico firmam um tratado contra o tráfico de escravos
1841 1841 Os governos de Buenos Aires e britânico firmam um tratado contra o tráfico de escravos
1841 1841 El Salvador se constitui em república unitária e independente das outras repúblicas da América Central
1843 1843 Começa o estado de sítio de Montevidéu, com as tropas do Governo de Rosas
1816 1816 Toda família Bonaparte é afastada da França por lei do governo francês
1827 1827 O Peru, que fazia parte da Colômbia, declara a sua independência
1844 1844 Segundo Reinado: D. Pedro II anistia os líderes da revolução de 1842


Comments are the sole responsibility of the authors and do not represent the views of this repository. If you find something that violates the terms of use, report it by clicking the report button.

This document has not been commented yet, leave your comment by clicking on "Add comment"